Menu

Sebrae Nacional sedia mesa redonda do BRICS sobre MPEs

Membros do BRICS expuseram suas respectivas políticas nacionais em favor das micro, pequenas e médias empresas (MPME) e discutiram a proposta do Brasil para a condução da cooperação durante o ano

 

Nesta segunda-feira (21), o Sebrae Nacional recebeu membros dos países do mercado emergente em relação ao desenvolvimento econômico que formam o BRICS, composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, para a 4ª mesa redonda sobre MPME. O encontro teve como objetivo oferecer aos países a oportunidade de discutir, em suas perspectivas, dois temas de grande relevância para as Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME): financiamento e formalização das MPMEs.

“Para nós, é uma honra sediar esse evento, uma vez que o BRICS tem papel fundamental no contexto internacional, principalmente quando pensamos na união que pode surgir daqui. É com muito orgulho que o Sebrae se compromete a usar sua expertise e competência nos temas relativos aos pequenos negócios, como forma de expor nossas políticas públicas voltadas para esse segmento e contribuir com o desenvolvimento do mesmo nos países do BRICS”, pontuou o diretor de administração e finanças do Sebrae Nacional, Eduardo Diogo.

Para a diretora de projetos do Ministério da Economia e Conselheira Suplente representante da União no Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae, Juliana Natrielli, é essencial que o Brasil participe de eventos que, como a mesa redonda, tragam experiências de outros países que contribuam com a articulação entre as nações. “Somente no último mês, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela geração de 120 mil empresas no Brasil. Este dado aponta a relevância de políticas públicas para a expansão e suporte do segmento, um exemplo do que estamos explorando hoje, neste encontro”, afirmou.

Ao longo do dia, os membros do BRICS expuseram suas respectivas políticas nacionais em favor das micro, pequenas e médias empresas (MPME) e discutiram a proposta do Brasil para a condução da cooperação durante o ano. “Todos aqueles que se dedicam aos pequenos negócios são nossos irmãos de causa”, ressaltou o diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick. Segundo o diretor, o Sebrae atua como um instrumento de apoio às políticas públicas, levando em consideração as principais necessidades do empreendedor. “Acredito que não só no Brasil, mas em todos os países presentes, é essencial que estejamos focados na competitividade e produtividade das micro e pequenas empresas. Por este motivo, o Sebrae continuará focado na articulação com o governo em seus três níveis, com o intuito de melhorar o ambiente de negócios e levar a inovação para as micro e pequenas empresas.”

Delegação Russa

Delegação Chinesa

Delegação Sul-Africana