Menu

Formatura de Miniempresas da Junior Achievement do Brasil

Programa Miniempresa encerrou mais uma edição promovendo a experiência e visão de negócio para 80 estudantes do 2º ano de escolas da região

A capacidade empreendedora de estudantes do 2º ano do Ensino Médio de quatro escolas do Distrito Federal foi celebrada e reconhecida nesta segunda-feira (26), em cerimônia na sede do Sebrae Nacional. Os 80 estudantes participaram do programa Miniempresa, promovido pela Junior Achievement no Distrito Federal (JADF) com o apoio do Sebrae Nacional, e que fomenta o empreendedorismo por meio da gestão de uma empresa real. A noite foi de muita vibração e premiações da iniciativa que envolve educadores, jovens e familiares em prol da educação empreendedora como caminho para o desenvolvimento da sociedade.

Durante 15 semanas, alunos do Colégio CIMAN, Colégio Militar de Brasília (Dom Pedro II), Instituto Federal de Brasília (IFB) campus Riacho Fundo I e São Sebastião cumpriram atividades de 60 horas, período no qual criaram uma empresa com orientações nas áreas de finanças, marketing, recursos humanos e produção. Os participantes passaram pelo ciclo de criar uma empresa, definir produto, elaborar estratégia de comunicação e planejar a linha de produção, orientados por voluntários especialistas. As empresas criadas foram: 10enrola (CIMAN), Confort AS (Colégio Militar), IF Bag (IFB Riacho Fundo I) e Termo Bag AS (IFB São Sebastião).

A melhor miniempresa do DF premiada foi a 10enrola, avaliada entre as concorrentes pela apresentação dos produtos e resultados alcançados. O grupo fará visita técnica em uma unidade do Mc Donald´s no DF. Os melhores achievers de cada empresa também receberam troféu e brinde por sua dedicação e perfil empreendedor. Foram eles: Anita Garcia (10enrola), Fabiana Morum (Confort SA), Letícia Silva (IF Bag), Isabela Menezes (Termo Bag). Entre os vendedores, foram destaque Amanda Martins, da empresa 10enrola, Giovana Neves, da Confort SA, Ana Carolina Mesquista, da IF Bag, e Mateus de Souza, da Termo Bag.

Em seu discurso, o paraninfo da turma, Eduardo Diogo, diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, agradeceu a oportunidade de recepcionar esse público estudantil. “Essa casa está muito alegre e jovem hoje. O Sebrae quer estar cada vez mais próximo do empreendedor do presente e do empreendedor do futuro, que são cada um de vocês. Não percam nunca a capacidade de se indignar e o desejo de mudar o mundo. Assumam a responsabilidade, sejam determinados, tentem, errem e criem o futuro. O mundo do empreendedorismo os espera, sejam muito bem-vindos!”, convocou Diogo.

Noite de premiação

Na abertura da solenidade, José Paulo Furtado, diretor presidente da JADF, recebeu os estudantes como “colegas empreendedores” e elogiou a participação de todos no projeto. “Nos apaixonamos pelo empreendedorismo quando temos a chance de conhecê-lo profundamente e vocês experimentaram como ele pode transformar vidas. Ganhem o mundo, vamos juntos”.

Janete Vaz, fundadora do Sabin e vice-presidente do Conselho Consultivo da Diretoria da JADF, foi a homenageada da noite por sua trajetória e contribuição para o empreendedorismo na região. No palco, ela agradeceu a iniciativa: “É uma alegria enorme plantar essa sementinha e participar desta construção de Brasília. Tenho orgulho de participar há 15 anos desse projeto, que literalmente cria futuros. Vocês são o efeito multiplicador do Brasil, estão sendo formados com o tripé conhecimento, cultura e sonho grande”.

O senador Izalci Lucas registrou a importância da iniciativa. “Tudo acontece na escola e essa é uma grande oportunidade. O desafio é introduzir esse tipo de programa nas escolas públicas”. Já Helber Vieira, subsecretário de Educação Básica do Distrito Federal, testemunhou: “Vi aqui hoje uma formação completa de jovens que estão se preparando para o espírito empreendedor, para a geração de riqueza social e econômica”. Também participaram da mesa do evento Olívia Rauter, diretora-executiva da JADF, e Luciana Salomão, presidente do Conselho da JADF.

Na prática

Juliana Santos Oliveira, aluna do CIMAN, descreveu o programa como excelente oportunidade para empreender nas nossas vidas profissionais e pessoas. “As primeiras jornadas foram mais teóricas, mas assim que desenvolvemos o produto, vimos a correria do empreendedor no dia a dia. Apesar de termos enfrentado dificuldades e até oposição de ideias, cada momento foi um aprendizado. Ver o resultado disso tudo é de orgulhar qualquer um”, contou Juliana.

Conhecer os bastidores de um negócio e buscar soluções, na prática, para os problemas que surgem, foram os dois pontos que mais chamaram a atenção de Amanda Amarante dos Santos, de 16 anos, aluna do IFB Riacho Fundo. Junto com 18 colegas, ela criou uma empresa que produz e comercializa pochetes personalizadas. “Aprendi a costurar e, mais do que isso, aprendi a lidar com os desafios de uma empresa. Vou levar para a vida essa experiência e a base forte de empreendedorismo”, afirmou Amanda, que também elogiou o acolhimento dos voluntários.